Freitag, 24. September 2010

Ludwig im Wunderland.

Hallo.

No post de hoje, eu não vou falar do meu dia. Na verdade, eu tive outro sonho, desta vez sem o Feliciano versão feminina na minha cama. ~_~
É um tanto perturbador, mas eu não sei bem se apenas o livro vai me ajudar dessa vez, então queria a opnião de quem vai ler por isso resolvi descrevê-lo aqui.
O sonho começou estranho, porque eu comecei ele acordando. Olhei para cima, vi que estava deitado embaixo de uma árvore dourada de folhas vermelhas. Me sentei, ao meu lado, Aster dormia mas não era o Aster atual, ele era apenas um filhote. Confuso, percebi que eu era uma criança de novo e usava uma roupa azul estranha e constrangedora. ~_~

Olhei em volta e vi que estava em Sachsenhausen (campo de concentração em Berlin), pelo que eu me lembro foi bombardeado pelos russos, mas naquele momento ele estava inteiro. Então, um vento muito forte soprou, as folhas vermelhas começaram a cair e ao se soltarem da árvore elas ficavam negras, assim como o tronco da tal árvore. Primeiro, eu achei que as folhas estavam gritando por se soltarem, mas depois vi que os gritos vinham de vários prisioneiros do campo que começaram a se aproximar de mim. Estavam todos magros, sujos e com os rostos deformados falando coisas como "Nos tire daqui!". Procurei por guardas, não encontrei nenhum, recuei assustado e então ouvi a voz do meu Bruder.

Procurei pela voz e vi perto do portão um coelho branco com uma suástica negra nas costas, ele se transformou de repente no meu Bruder e a suástica virou a Cruz de Ferro.


Ele abriu os portões e piscou para mim, corri atrás dele imediatamente pedindo para que ele me esperasse. Ele começou a repetir "Eu sou awesome demais para me atrasar!" e parecia não notar que eu perseguia ele

Então, o lugar mudou. Estava em um lugar aberto e ao meu redor haviam vários "eus" mas adultos, todos sujos e machucados. Eles começaram a repetir ao mesmo tempo "É sua culpa.". Apesar do lugar ser aberto, haviam vários buracos pelo chão, ouvi algo vindo atrás de mim, me virei. Oficiais americanos apontaram suas armas na nossa direção, todos começaram a correr para dentro dos buracos e eu ouvi:
- Lud, por aqui. - disse meu irmão perto de um buraco, ele pulou e logo eu fiz o mesmo.

Comecei uma queda sem fim, gritei e tentei ver onde estava mein Bruder, mas sequer parecia que ele havia pulado um pouco antes de mim.
Senti meu corpo bater contra o chão gelado, apesar de ter sido uma grande queda, eu parecia ileso.
Haviam várias portas ao meu redor, uma mesa a minha frente com uma chave. Tentei abrir as portas mas nenhuma abria, pelo menos foi o que eu pensei, mas uma pequena porta eu consegui abrir, entretanto ela era pequena demais para mim.

Na mesa onde apanhei a chave, havia uma caneca de cerveja onde havia escrito "Beba-me", eu não tinha idade para beber então eu não ia beber! ~_~
Ouvi um som estranho e olhei em volta, reparei que haviam chuveiros ao redor da sala e pelo som somando a minha "experiência" eu sabia que não sairia água dali...

Peguei a caneca e bebi, diminui automaticamente de tamanho, mas fui idiota o bastante para esquecer de pegar a chave! Por sorte, no chão encontrei uma Wurst com os dizeres "Coma-me", sem hesitar comi, cresci e apanhei a chave. Vi o gás saindo lentamente pelos chuveiros e bebi a cerveja de novo já começando a correr para a porta.

Sai da sala a tempo, fechando a porta atrás de mim. Me deparei com o que parecia ser um campo de guerra. O céu era cinzento e parecia que vinha uma tempestade, corpos sem rostos por todas as partes. Apenas um, diante de mim tinha rosto, mas era eu mesmo.
Primeiro, achei que era outro garoto pois ele usava roupas longas e negras, que eu nunca usei na vida, mas o rosto era com certeza o meu. Eu estava olhando para mim mesmo morto no chão, pálido, sujo de sangue.

Eu estava realmente assustado e ameacei recuar, mas realmente me apavorei quando o meu eu morto segurou minha perna e abriu os olhos.
- Eu não autorizo sua rendição. - disse eu mesmo, mas não era minha voz, era a voz de Hitler.
- Isso é loucura! Não pode ser real! - gritei.
- Acho que você precisa de uma ajuda.
Ergui meus olhos, Stalin vinha sorrindo e caminhando na minha direção, meu eu morto me soltou quando ele pisou esmagando sua cabeça. Logo que estava livre, comecei a correr para longe pedindo para acordar daquilo tudo...

Tudo ficou confuso até que eu estava em uma floresta. Diante de mim, um enorme cogumelo com uma lagarta enorme da cor azul. Ela se virou e eu vi que a lagarta na verdade era Roderich.
- Quem é você? - perguntou ele.
- Como assim? Sou eu, Ludwig! - respondi irritado.
- Você tem certeza disso? - a lagarta começou a tocar uma música calma em um piano que estava em cima do cogumelo.
- Mas é claro! Você me conhece! Quem mais eu poderia ser?
- Eu não sei. Eu não sou você, ou deveria dizer, eu não fui você? Afinal, quem é você, de verdade? O que é você?
- Sou a Alemanha, Ludwig! Eu...eu acho. - comecei a hesitar, falar aquilo me pareceu estranho por algum motivo.
- Quem você já foi? De onde você veio? - disse calmamente.
- Eu...eu não sei mais.  - fiquei confuso, não sei se era a música ou o aroma estranho no ar, mas me senti tonto.
- Procure na sua promessa. No dedo.
Interpretei ser o dedo onde eu fiz a promessa com Feliciano, olhei para ele e uma fina linha branca estava amarrada nele, a outra ponta estava perdida por entre as folhas.
Comecei a andar, entrando dentro da floresta e ficando atento ao chão, seguindo o caminho que a linha fazia.
Passei por um pequeno rio e algo diferente na minha imagem refletida me chamou a atenção. Eu estava usando as roupas longas e negras que o meu eu morto estava usando antes, mas não me lembrei de tê-las colocado. Encarei a imagem perplexo, até que:
- Como você pode esquecer dela? - o meu eu refletido falou fazendo uma expressão de profunda tristeza, sem que eu sequer movesse os lábios ou mudasse qualquer outra coisa no meu rosto.
Me afastei imediatamente da água. Continuei meu caminho, repetindo para mim mesmo que eu não estava louco.
Porém, logo em frente, a linha entrava dentro da terra.

Haviam dois caminhos e eu não fazia ideia por onde a linha tinha ido.
- Está perdido?
Procurei a voz, havia um gato em cima de uma árvore...um gato com o rosto do Kiku.
- Kiku...? Er...você é o cheshire, isso é estranho...
- Por que seria estranho?
- Porque era para ser um gato sorridente... - sim, no sonho eu já havia percebido que estava no "País das Maravilhas".
- Melhor assim, Ludwig-san? - ele deu um sorrisinho calmo.
- Tanto faz...Kiku, preciso ir até onde termina essa linha! - mostrei meu dedo.
- Hm, entendo. Creio que não será tão fácil o que você precisa fazer.
- E o que seria isso? O que eu devo fazer? Você pode me ajudar?
- Etto...tomarei medidas apropriadas. - ele então virou fumaça e sumiu.
Achei que estava sozinho de novo, até que avistei mais longe apenas o rosto de Kiku no alto dizendo para que eu o seguisse. Conforme eu o seguia, a linha ia surgindo e reaparecendo.
Segui ele até ver uma longa mesa adiante. Duas pessoas estavam sentadas lá.
- Não tem mais lugar! Não tem mais lugar! - disse Kirkland, apressadamente. Ele usava uma roupa colorida com uma cartola.
- Tem vários lugares!! - falei irritado.
- Não! Não tem! ahahaha! - ele riu insanamente e atirou uma xícara na minha direção, da qual eu desviei. - Ah, droga, ok, pode se sentar. - falou emburrando rápidamente.
- Eu nem queria me sentar, eu preciso ir até onde termina essa linha presa ao meu dedo.
- Oh, mon cher, sente-se um pouco e comemore com a gente. - falou o outro sentado a mesa, era Bonnefoy usando orelhas de lebre.
- O que vocês estão comemorando? - perguntei desconfiado.
- A nossa vitória é claro! - Kirkland me segurou pelos cabelos, gemi de dor ao seu erguido do chão.
- M-Me solte, seu inglês idiota!!
- Ahahaha, veja como ele geme! Você fica muito melhor nesse tamanho, alemãozinho!
- Não arranque muito seus cabelos, quero ele parecendo um garotinho fofo quando for minha vez de brincar com o pequeno ... !
Ele moveu os lábios até o fim da frase, porém não saiu som algum.
- Do que você me chamou?!
- Você não ouviu, ... ?! - novamente, apenas os movimentos dos lábios.
- AH! POR MERLIN, A HORA DO CHÁ! - o inglês me jogou no chão e correu para a mesa, começou a colocar o que parecia ser areia em seu chá e tomou sorrindo. - Não posso perder a hora do chá, não posso, não posso.
- Mon Dieu, Arthur, não fique gritando por aí. Seu inglês machuca meus ouvidos. - ele então colocou duas rosas uma em cada orelha.
- Vocês são malucos! Isso só pode ser um sonho!
- E quem disse que você é normal? - falaram ao mesmo tempo, sorrindo cruelmente.

Um turbilhão de cores e sons e eu estava no que parecia ser Veneza.
Minha linha ia direto para dentro de uma gondola, estava ensolarado e agradável onde eu estava. Senti que acabaria tudo bem se eu simplesmente entrasse ali.
Um sopro gelado tocou minha nuca, atrás de mim, estava a praça vermelha em Moscou.
Simplesmente havia um ponto onde o sol batia e 1 cm a frente estava com o chão coberto de neve.

Mesmo com o vento forte, eu vi lá adiante, mein Bruder agachado em um canto, abraçando o próprio corpo. Olhei de volta para a gondola, mas decidi ir até a neve.
O vento parecia tentar me puxar de volta, mas eu continuei. Avistei os Bálticos, pareciam estar tentando amarrar girassóis por toda parte da praça vermelha.
- O que vocês estão fazendo?
- Ah! - Toris, da Lituânia se assustou ao me ver próximo. - Estamos pendurando esses girassóis a pedido do Rei de Copas...
- Isso é absurdo, eles vão simplesmente congelar aqui.
Eles deram os ombros, segui meu caminho.

Já conseguia ver meu Bruder melhor, havia outras pessoas ali e junto com Ivan Braginski, eles pareciam estar jogando cróquete. Ao me ver, Braginski se virou para me receber.
- Veja só quem chegou! Estavamos esperando por você, Ludwig, venha jogar conosco. Estou usando minha melhor bola, imagino que vai te agradar. ^J^
Pelo que entendi, ele estava usando o cano para jogar cróquete, próximo a ele vi uma bola amarela no meio da neve. Hesitante, me aproximei olhando para a bola.

Levei as mãos a boca e senti que ia vomitar quando vi que a "bola" era na verdade a cabeça do Polônia, se decompondo e com várias marcas e feridas pelo rosto.
- Que cara é essa, Ludwig? Você me ajudou a deixar ele assim, não se lembra? Fuhuhu...
- Eu... - não conseguia dizer nada, deviei o olhar e tentei manter em mente que era apenas um sonho. - B-Bruder...vamos para casa.
- Mas foi você quem me trouxe aqui. - respondeu friamente, agachado na neve.
- Você não vai levar meu coelhinho... - Braginski entrou na minha frente, os outros 4 aliados se juntaram a ele, fazendo um muro entre eu e meu irmão. - Ou eu vou cortar a sua cabeça, da. ^J^
- Eu...eu não saio daqui sem ele! - falei em voz alta, batendo o pé.
Braginski avançou, erguendo seu cano.
- Preciso de uma nova bola... ºJº

Recuei enquanto ele se aproximava, por um momento, pensei que o sol havia tocado meu corpo. Na verdade, alguém me abraçou por trás me dando a sensação de que um raio de sol estava sobre mim. Braginski chegou ao limite e fico na parte onde havia neve, ele não podia ultrapassar por algum motivo. O que antes era seu cano, se tornou um girassol.
- Você precisa acordar, Doitsu. - falou Feliciano no meu ouvido. - Seu irmão vai ficar bem, ne.
- Mas eu...
- Só acorde, rápido!
Eu vi outra pessoa se aproximando, vestido como um Papa, mas com as roupas negras e um chicote, sorrindo enquanto movimentava os lábios. Não pude ouvir o que ele disse e nem soube quem era, só acordei.

Estava descoberto e com muito frio, talvez por isso sonhei com neve, imagino. ~_~
Desculpem por ser um sonho tão...estranho e longo.
Eu não li Alice no País das Maravilhas antes de dormir. =_=
Alguém tem alguma ideia do motivo do meu sonho? Minha cabeça pesa só de tentar entendê-lo...
Também fiquei surpreso por acabar sendo "salvo" por Feliciano...bem confuso, não é?
Estou com dor de cabeça, vou tomar um remédio agora.
Até.

[Off: Eu sei, "pq vc tá enrolando para ir encontrar o Feli?" ~_~ eu ainda estou pensando no tal plano, não quero fazer feio! e quero conversar com a dona dele primeiro, certinho ~_~ esse sonho foi necessário? sim, antes ele achava q não fazia diferença o passado dele e agora ele começou a sentir que tem algo importante lá por causa do sonho '-' eu podia fazer um tema menos complicado q teria o mesmo efeito? podia, mas eu sou idiota =_= ah, e tb gosto de Wonderland '3']

Kommentare:

  1. Ah, então foi por isso que você me colocou aquelas orelhas de coelho 'O'

    Mas pelamor de Deus, nunca sonhe comigo nessa época, eu me odeio nela >_<' [OFF: Gomen ne Pru-chan, mas você já estava morto '-']

    Se você quiser, eu te levo num psicólogo 8D~~

    [OFF: OMG *Morre aki, mas ressucita para postar* QUE PERFEITO! (Só acho que podia terminar com a Rússia fazendo... *Caham ><* ... Está bom assim mesmo, eu gosto muito de Wonderland tbm *-*

    Poland de Bola?! Nuss, ficou engraçado quando imaginei XD]

    AntwortenLöschen
  2. [OFF: DHEUKFHEWLKFNEFÇQJ ISSO. É. BRILHANTE.]

    AntwortenLöschen
  3. (Off:ameii!*o*estou morrendo para ver a continuação *--------* Wonderland *-*)
    Será que esse sonho não tem a ver com algo que você esqueceu? Ou com algum filme?
    Melhoras da dor de cabeça^^'

    AntwortenLöschen
  4. Bruder: Er...eu não acho que conseguiria conversar com um psicólogo.. @_@

    [off: Rússia fazendo o que? XD Ptz, obg *-*']

    Sealand: [off: weeee obg *__*]

    Taiwan: É, deve ser...filme? Hm...tirando País das Maravilhas, acho que não se parece com nenhum filme que eu tenha visto. Ah, já melhorei da dor, obrigado.
    [off: obg qq mas eu não sei se vou dar continuidade ao sonho, talvez o último personagem citado reapareça mas...]

    AntwortenLöschen
  5. A infância do Ludwig-san parece ser um pouco misteriosa.
    E se o seu sonho estiver relacionado a isso?

    [off: oh my goodness!! to amando esses posts seus!! *---*]

    AntwortenLöschen
  6. Ne, Ludwig, você não andou mesmo lendo o livro do France nii-chan? Waa, eu consegui te ajudar? Que incrível!
    (off: Ah, maldita hora que eu fui buscar inspiração na meteorologia. Bom, o tempo pode melhorar. Só vai estar um pouco úmido, só isso. Que criatividade com a história da Alice no País das Maravilhas. *-*)

    AntwortenLöschen
  7. Nossa, e eu achava que meus pesadelos malucos com Francis eram fora de interpretação, mas o seu tá anos-luz a frente. Não leia livros antes de dormir. Sério msm!

    (off: imaginei um England de Chapeleiro Maluco...hahaha...ficou ótimo - ri muito do Ivan Rei de Copas *medo*)

    AntwortenLöschen
  8. @J@ Ludwig, você... me parece tão psicótico tendo um sonho desses OJO~

    AntwortenLöschen
  9. Nihon: Hm...você tem razão...últimamente tenho pensado nisso, antes eu não me importava mas agora tem me incomodado.
    [off: obg *_*]

    Feliciano: Bom, eu...talvez. ~_~ Uhm...conseguiu sim.
    [off: kk, não pode chover, não pode @_@ ah obg xD]

    Kirkland: Eu não li. ~_~
    Eu prefiro sonhar esses sonhos do que sonhar com o Francis pelado.
    [off: que bom, achei q não tinha conseguido fazer ela muito "engraçada" obg]

    Braginski: .....................

    AntwortenLöschen
  10. Oh, mas quem diria! Obrigada pelas boas vindas.
    Uh mas que sonho bizarro. u_u Tente tomar um chá de lirio de noite invés de ficar se jogando no alcool. Chá de lirio funciona e olha lá! Já até dei para o meu Onii-sama a forç..ops, porque ele quis provar. :3

    AntwortenLöschen
  11. Eu não sei o que você anda comendo antes de dormir ou lendo, mas isso ta ficando mais estranho a cada dia o-o

    [off: vc sabe que eu sou fã sua neah?]

    AntwortenLöschen
  12. Arlovskaya: Vou levar o seu conselho sobre chá de lírio a sério.

    Romano: Realmente...concordo.
    [off: obg ♥ significa muito para mim, vc sabe]

    AntwortenLöschen